Terça-feira, 22 de Agosto de 2006

Definitivamente não era a melhor opção...

 

 

Tenho saudades tuas, E.

Gostava de te ver mais uma vez antes de ires embora e partires para sempre da minha vida. Gostava de ter outra oportunidade, de trocar mais algumas palavras contigo e quem sabe até algo mais.

Conheci-te sem querer. Vieste em dia não e tornaste a noite em noite sim. Só faltou o sim ao teu olhar. Tens aquele olhar de quem sabe o que quer da vida e de quem já viveu muito mais do que aquela noite tinha para contar.

Sabes olhar para mim com os olhos de quem já viu muitas mulheres e em todas descobres o melhor. Não sei o que viste em mim, mas posso garantir que de facto me fizeste sentir mulher. Tanto que ainda hoje passadas duas semanas e ao fim de apenas umas horas de conversa, não te esqueço.

Alguém insinuou que por pouco aquela noite não me ficava na memória. Na minha e na tua. Mas o meu medo de mostrar quem sou, obrigou-me a ficar por ali. Contei-te muito do que sou, acho até que daquilo que te disse conseguiste ver muito mais do que o que te mostrei.

Acredito que me entendeste e deixaste-me como um doce sabor nos lábios. Aquele sabor de quem está preste a apaixonar-se, mesmo sabendo que essa é a pior das hipóteses, como no nosso caso.

Tu na cidade do amor e eu em qualquer sítio que nem eu sei onde é. Definitivamente não era a melhor opção...

Mas ainda hoje me lembro de ti. Chegaste a medo, com vergonha e timidez. Olhaste para mim, com um ar de quem se sente fora de casa, parecias um peixe num aquário, ou então um daqueles gatos que estão numa montra em exposição. Tens olhos de tigre, é parecido com gatos, são todos felinos.

Gostei do teu jeito pronto de quem oferece sem esperar nada em troca. Será que a vida já te deu tudo o que esperas? Fazes-me acreditar que sim, pareces mais abençoado do que aquilo que ousaste imaginar.

Quis a sorte que a seguir te sentasses mesmo em frente a mim, ou melhor, eu é que me sentei à tua frente. Foi nesse instante que fez click! Esses teus olhos de tigre, viram-me como poucos o fazem. Com um ar de experiência e uma vontade contida.

Nessa noite fui para a cama a pensar que a vida é bela. Soubeste-me olhar com paixão e desejo. Fizeste-me sentir mulher. E fizeste-me ter pena de te ter deixado a meio da noite.

Se fosse hoje teria ficado, talvez falássemos mais das nossas viagens, do que nos fascina e das tatuagens que gostávamos de fazer. Talvez disséssemos outra vez o mesmo, eu em inglês e tu em francês. Diferenças que nos fizeram rir e com isso mais um olhar. Mais um gesto contido, mais uma vontade que se expressou.

Definitivamente tenho saudades de ti, E.

 

 

Sinto-me:
A ouvir: James Morrison - You Give Me Something

Soprado por: Asa às 22:59
Esta pena | Acrescentar uma pena | Recolher esta pena
|

Simplesmente eu...

À procura de ...

 

Fevereiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


Penas nascidas...

Post-Mortum II

6 Palavras...

Eutanásia bloguística...

Apetecia-me...

Amigos...

Depósitos...

Espero que não acabe aqui...

Mimo...

Há dias assim...

Acredita em mim...

Blog em manutenção...

Dedicado a J.

Escada...

Aquele que nunca viveu...

A minha primeira vez...

Tenho saudades...

Penas caídas...

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Asas no Mundo...

Locations of visitors to this page

Outras Asas...

blogs SAPO